Meu Perfil
BRASIL, Mulher, de 56 a 65 anos, Portuguese, French, Arte e cultura, Animais



Histórico


Categorias
Todas as mensagens
 Citação


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Companhia Solitária
 Escritora Caipira - um dedo de prosa
 Ratos e Homens - Julio Carrara
 Olhos Atentos
 hisafarr
 DADO PROSA E VERSO


 
De uma loba sobrevivente


Recato

Não há o que falar.
Não há com quem falar.
Não há do que falar.
...
Recato.

Se exponho,
o retorno vem em forma de
alheias experimentações
suas mentes e corações.
Meu eu se queda inerte.
Não há ressonância.

Cicatrizes
Todos as têm.
Alguns varrem pra baixo do tapete
outros escondem no fundo do guarda-roupa
ou escondem com pan-cake.
Lá. Enfiado no meio de tudo aquilo
que deveria ser deitado fora
e não foi.

Outros as mostram orgulhosos
Cada uma, uma batalha, uma dor, uma vitória.

Que faço das minhas?
Calo? Falo?
Esquecer? Impossível!
Tão vívidas, tão vividas.

Afrodisiacamente dolorosas!
Estuporosamente inesquecíveis!

Segredos secretos.
Tesouros acalentados
ao longo dos tempos idos.
Amores, alegrias, dissabores.
Tudo, tudo
Que faz de mim...
ser hoje quem sou.


Escrito por Maria Cunha às 13h45
[] [envie esta mensagem] []



p { margin-bottom: 0.21cm; }

p { margin-bottom: 0.21cm; }

p { margin-bottom: 0.21cm; }

Onde está o Menino ?

 

Ouvi dizer que era o nascimento de um rei

Fui procurar em todas as cidades

Por todas as ruas, em todas as casas

E o que encontrei?

Pessoas fantasiadas de velhos gorduchos

Com absurdas roupas para esse calor tropical

Encontrei lojas frenéticas

Pessoas comprando coisas, muitas coisas

Diferentes coisas

Consumindo desvairadas

O que podiam e o que não podiam

Hipnotizadas, robotizadas, manipuladas

Cadê o Menino? - eu perguntava

Ninguém sabia, ninguém dizia

Olhei em palácios, Procurei em favelas

e...nada

Vi pessoas se matando

Se empanturrando

Se embriagando

Se alienando

Se anulando

Ou só dormindo com fome

E o Menino...Cadê?

Ninguém viu, ninguém sabia

Suspirei

Entrei em casa

Havia uma farta mesa

Fui me empanturrar

E me embriagar também.

Mas...

Cadê o menino?

Maria Cunha

 

 



Escrito por Maria Cunha às 15h35
[] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]